• A.V. Redação

Superação — Conheça a história do Dr° Pedro H. Bonfim, em entrevista à nosso site.

Atualizado: Mar 23

Pedro Henrique Bonfim, 33 anos, nascido a 29/06/1986, em Rondon do Pará/PA; saiu de sua cidade natal com 1 ano de idade e veio para Bahia, com sua família, viver em Eunápolis. Maior e melhor parte de sua infância foi morando num bairro de periferia, o Urbis 3; quando jogar futebol, soltar pipa e brincar de bolinha de gude era a maior e melhor diversão da sua infância; além de amizades que fez e até hoje guarda; com exceção dos que seguiram por caminhos diferentes, como a criminalidade.


Em suas próprias palavras: ''Criado por minha avó (Dona Lourdes), professora de poucas condições, sempre tentou me dar do bom e do melhor, principalmente quando se tratava de EDUCAÇÃO. Minha mãe era usuária de drogas e, depois de várias tentativas de trazê-la para morar comigo; indo com minha avó buscá-la na rua (morava no Pelourinho, em Salvador); acabei por perdê-la. Eu tinha apenas 15 anos. É uma falta que não cicatriza, mesmo com o amor em dobro que sempre recebi da minha família. Eu queria que ela estivesse perto para ver o HOMEM que seu único filho se transformou. Nunca conheci meu pai, perdi minha mãe em um dos melhores momentos da minha vida, quando fui seguir um sonho de ser jogador de futebol; indo morar em Recife/PE; jogando pelas categorias de base do Santa Cruz. Morei lá por 5 anos, (tempo de muito aprendizado, afinal; era um menino aprendendo a se virar em uma capital pernambucana). Não deu certo e então voltei para Eunápolis''.


Mudança de Trajetória


Prosseguindo em seu depoimento, Pedro nos diz: ''Segui meus estudos, e logo depois ingressei na faculdade, no Curso de Fisioterapia da Faculdade Pitágoras em Linhares/ES (isso, com muita insistência da minha avó). Decidi realizar um sonho que no momento era dela, (tornar o neto que ela criou com muita dificuldade em um homem de bem, e com um diploma). Vendo a luta da minha avó para pagar uma faculdade cara, aluguel e ajuda de custo, eu buscava cada dia mais ser um ótimo aluno; cada dia de aula lembrava do sacrifício que ela fazia para me manter ali (aliás, eu era o orgulho dela e; ela nem sabia, mas é a minha heroína)."


"Muitas vezes minha avó teve que vender imóveis que tinha conseguido com muito sacrifício, para me manter estudando. Os cinco anos de faculdade chegou ao fim, voltei para casa com um presente para ela (meu diploma). Pois, como diz até hoje, é minha parte da herança. Minha avó fala que nós, que somos batalhadores, só podemos deixar de herança para nossos filhos a educação e o estudo, e foi isso que ela me deu. Voltei para Eunápolis, para o bairro onde fui criado, aquele mesmo bairro que cheguei 'molecote': voltei um doutor formado e, junto com aqueles mesmos amigos de infância, fui concorrer às eleições do bairro e me tornei o Presidente de Associação de Bairro mais novo da cidade. Deus, vendo todo meu sacrifício e vontade de crescer, foi abrindo portas. Recém formado, tive meu primeiro emprego onde muitos profissionais gabaritados da cidade queriam: o Hospital Regional de Eunápolis, onde permaneci por um bom tempo."


"Deus achou pouco, e me trouxe à Itabela em 2011, através de uma amiga, a Drª Michela, que tinha estudado comigo na faculdade e se formado um ano mais cedo. Foi quando começou um caso de amor com MINHA QUERIDA ITABELA! Tive meu primeiro emprego no 'NASF' da cidade e, logo em seguida; fui para a Policlínica, onde tive minha segunda melhor experiência profissional, criei vínculos de amizades que hoje, posso chamar de vínculos familiares. Até gostaria de citar meus amigos e colegas: Mara, Fatinha, Luciene, Flávia, Dr° Caio, Valdirene, Maria e outros. O setor da Fisioterapia da Policlínica me fez entender o verdadeiro sentido da amar ao próximo; de cuidar; de sorrir; de chorar; de amar um povo do bem; um povo que, mesmo com tanta dificuldade, não tira o sorriso do rosto! Um povo que muitas vezes tem pouco o que comer em casa, mas chega para ser atendido com um biscoito, um bolo para te presentear… Cada senhorinha ou senhor que atendia, olhando nos olhos, eu via minha avó… E de coração passo para eles, até hoje, um carinho de neto, de filho, porque é o mínimo que eles merecem!"


"Hoje, há nove anos no mesmo local de trabalho, aprendi que ser fisioterapeuta é SABER USAR UM ABRAÇO, UM SORRISO E UMA PALAVRA DE CONFORTO COMO PARTE DO TRATAMENTO PARA CURAR DORES FÍSICAS E EMOCIONAIS DOS MEUS PACIENTES, QUE NA MAIORIA SÃO IDOSOS! Pacientes esses que, por vontades deles, me colocaram na carreira política ontem pela primeira vez, com menos de nove anos na cidade; me deram 342 votos de confiança e me fazem crescer cada dia mais, dizendo: 'Meu filho, precisamos de alguém como você para cuidar de nós!'. Hoje sou casado com Giovanna Martins, uma mulher fantástica, e acompanhado de uma família maravilhosa que só nos incentiva a crescer! Agradeço a cada um morador dessa cidade (Itabela) pelo apoio, e por acreditar naquele jovem sem maturidade que aqui chegou e hoje é exemplo para muitos jovens."

"Quero e preciso devolver aos nossos jovens e cidadãos de Itabela, todo apoio e incentivo que tive aqui. Incentivo esse que me tornou um homem humanitário e de caráter. E, por gratidão a todo carinho e respeito, me esforço para devolver em forma de amor e cuidado a esse povo que merece muito mais''.


Hoje, o Dr°. Pedro é Gerente da Unidade de Reabilitação (Fisioterapia). Com média de 8 mil atendimentos por ano, coordenando uma equipe com 9 Fisioterapeutas, 3 Secretárias, 1 Técnico em Raios X e uma Auxiliar em Raios X. Além do mais, o estimado doutor teve o prazer de realizar o sonho de implantar o Centro de Fisioterapia em Monte Pascoal e Montinho, distritos de Itabela. Um projeto que teve desde que chegou ao município, e, com a oportunidade; a chance de revolucionar a fisioterapia em Itabela, que hoje é exemplo para as cidades vizinhas.


QUE BAITA HISTÓRIA MEUS AMIGOS!


Contato:


Instagram: https://www.instagram.com/drpedrohb/

Facebook: https://web.facebook.com/pedrohenrique.bonfim.3

Página no Facebook: https://web.facebook.com/drpedrohenriquebonfimfisioterapeuta/


Atenciosamente, Alison Vasconcelos.



Todos os direitos 

reservados ©

©2020 Por Alison Vasconcelos.