• Jornal Publicidade

Juliana Paes diz que foi agredida verbalmente após defender Nise Yamaguchi

Atriz afirmou que foi atacada por colega de profissão com acusações de ser "covarde, desonesta e criminosa"


Juliana Paes: Reprodução

A atriz Juliana Paes publicou um desabafo em suas redes sociais, na noite de quarta-feira (2), em que revelou ter sofrido agressões verbais de uma colega de profissão por conta de seu posicionamento contra a postura de senadores da CPI da Covid em relação à imunologista Nise Yamaguchi.


Na terça-feira (1°), Juliana havia chamado a atitude dos parlamentares de “show de horror e boçalidades”. A atriz ainda escreveu que “certa ou errada…não importa! Intimidação, coação, fala interrompida…mulher merece respeito em qualquer ambiente”.


Já no vídeo compartilhado em seu Instagram na quarta, ela revelou que uma outra atriz a acusou de ser “covarde, desonesta e criminosa”, e que, por conta das falas, resolveu responder a colega em suas redes. Juliana, porém, não chegou a citar quem seria a autora das acusações contra ela.

– Cara colega, apesar de eu ter sido agredida por suas palavras caluniosas, de ter sido invadida pela sua mensagem de noite, de ter sido acusada de ser covarde, desonesta, criminosa, eu me dispus a te responder por todas as cenas que eu me emocionei do seu lado – disse.


Juliana também afirmou que foi uma das primeiras a se posicionar pelo isolamento social, logo no início da pandemia, mas que nesse momento não consegue “pedir para as pessoas ficarem sem trabalhar”.


– Eu discordo de você sobre a minha posição, já falei publicamente sobre querer vacinas, mas eu não vou fazer isso todos os dias. Fui a primeira a pedir que as pessoas ficassem em casa, quando você ainda nem tava tão preocupada, mas agora não me sinto no direito de pedir para as pessoas ficaram sem trabalhar – apontou.


A artista destacou também que foi criticada por sua “escolha de não militar”, e chamou o momento atual de “um dos períodos mais nebulosos da história”, com o mundo inteiro “angustiado” por conta do cenário vivido em meio ao momento de pandemia de Covid-19.



– Você critica a minha escolha de não militar, publicamente, escolhendo um dos lados políticos nesse debate todo, então deixa eu te falar sobre o que eu penso. Nós estamos vivendo um dos períodos mais nebulosos da história mundial. O mundo inteiro tá angustiado, tá desorientado. Aqui, no Brasil, o cenário se complica, porque todo e qualquer assunto é politizado – disse.


Juliana também disse que procura enxergar o momento atual com maturidade, e ressaltou ter críticas ao governo atual. A artista, porém, relatou que não deseja “que a oposição que está presente no momento assuma o governo”.


– Nunca cedi às pressões. Eu sei quem eu sou e isso me basta. E que Deus nos ampare – finalizou.